segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Cara, conhece a brasileira musa do fio-dental?

Ela causou um alvoroço virtual ao ser fotografada usando um biquíni fio-dental em Miami Beach. Não um biquíni qualquer, mas uma micropeça que, deixava praticamente à mostra todo seu corpo sem qualquer defeito de fabricação. Os paparazzi fizeram a festa e daí para a rede foi um pulo. Ana Braga é do Rio de Janeiro, mais precisamente do Jardim Botânico, na Zona Sul da cidade. Mas nos EUA, ela é conhecida como Garota de Ipanema desde que foi para a terra do Tio Sam modelar há 20 anos.
E é lá que Ana, de 32 anos, 1,72m e 61kg desfila suas curvas. A loira do fio dental ainda não é uma celebridade por aqui, mas fama ela já conquistou mundo afora com suas fotos à beira-mar. "Eu estava fazendo fotos para uma coleção nova de biquínis lindos e superousados. Sempre que vou à praia, os paparazzi me pegam. Meu Deus, Miami é cheia deles! Aliás, aonde for que eu faça uma atividade física ou fotos com trajes ousados eles me pegam. Notei que isso começou a acontecer depois que posei para a 'Playboy', sabe?", conta ela.
O corpo, porém, não é a principal preocupação da moça, ela jura. "Quero que as pessoas me conheçam pelo que sou. Não me considero fútil. É bom cuidar da gente, mas não podemos esquecer do interior. Um dia a beleza acaba e o que vamos oferecer? Quero que as pessoas saibam que tenho bom coração, sou muito simples e simpática. Gosto de fazer novas amizades e cultivar as antigas", enumera.

Da parte física ela cuida malhando quatro vezes por semana e mantendo uma alimentação balanceada. "Levanto um pouco de peso, mas não muito. Prefiro ter um corpo pouco musculoso e mais feminino. A nutrição é o que pega. E o mais importante: não bebo e não fumo. Evito comer açúcar, massas e fritura", lista ela, que sofre mesmo ao passar por um Mc Donald's: "Ai meu Deus! Amo a batata frita de lá. E adoro chocolate. Corro como o diabo corre da cruz".
ana1.jpg
Da infância - passada entre a Barra da Tijuca e o Recreio dos Bandeirantes, onde foi criada -, ela se lembra com saudade. "A adolescência no Rio foi por pouco tempo, mas lembro de ter muitas amigas. De ir ao Barra Shopping sempre, à praia... A vida do jovem é bem mais liberada no Brasil. Em festinhas de aniversário minha mãe só me deixava na porta e ia buscar depois. Aqui os pais ficam em cima! Meu primeiro beijo foi com 12 anos no Brasil", recorda: "Foi com um carioca, um surfista muito gato de 15 anos. Aconteceu durante o pôr do sol na praia do Recreio. Primeiro beijo quando é bom parece que você está participando de um filme, uma fantasia", rlembra.

Acredite ou não, Ela Perdeu Peso e Depois o Marido



Sutian pra que?


Elas gostam assim, ao ar livre! Seios soltos e saltitantes




quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Quero um mousepad novo haha

Acredito que mesmo quem não é muito ligado em hentai iria curtir esses mouses pad. Criados a partir da personagem Yukky, do ilustrador japonês Koizumi Amane, são fabricados de forma artesanal, com lançamento previsto para 20 de novembro. Mais detalhes sobre a venda aqui.

Lugar de mulher é na cozinha?

O lugar da mulher é onde ela quiser!


Gêmeas gostosas de lingerie

gemeas gostosas de lingerie




Como eram as coisas antes da internet

10 práticas comuns para quem já havia nascido antes da popularidade da internet:

rebobinar VHS

São incontáveis os benefícios que a internet nos trouxe, e assim como tudo que nos tráz benefícios em excesso ela também nos trouxe alguns problemas. Pessoas cada vez menos sociais em busca a qualquer custo do insignificante, intimidação a qualquer custo, sem falar da atenção do seu amigo(a) que você não precisava disputar com o smartphone.
Ligue o seu ponto de vista para cada situação e vamos lá! 
Separamos abaixo 10 práticas que você só vai se lembrar caso tenha vivido antes da popularidade da Internet:
10. Encontrávamos tudo utilizando enciclopédias e todos os trabalhos eram escritos a mão:
Se você quisesse concluir o seu trabalho escolar/universitário, tinha que ir à biblioteca e ler um livro de verdade. A enciclopédia foi o “Google” dos velhos tempos. E se quisesse ler um romance ou algo do tipo, você teria que ir até uma livraria para comprar ou alugar um porque não era simples de achar e quem tinha não emprestava.
Por qual motivo ler um livro real se o Kindle faz exatamente o papel do livro com passos na frente? E por que fazer uma pesquisa em uma enciclopédia se existe o Google? Encontramos mais um motivo para respeitarmos os professores de hoje em dia… muitos deles não tinham essa moleza!

enciclopedia-barsa
9. Os correios eram usados principalmente para envio de cartas
Feliz seja quem já recebeu pelos correios uma carta escrita a mão… aqueles foram os dias que se você quisesse se comunicar com alguém a opção mais barata era enviar uma carta ou esperar ansiosamente para receber uma na caixa dos correios. Tudo chegava através do correio, incluindo extratos bancários, avisos e convites. Você tinha que comprar selos, envelopes e papel para escrever e talvez você ainda seja do tempo em que para fixar o envelope era necessário lamber os selos.
Mas, graças à Internet, o correio tradicional está morrendo lentamente, até os e-mails já não são mais tão falados. Hoje temos mensagens instantâneas para o bem geral da nação.

enviar-cartas

8. A interação acontecia com pessoas reais
Não era comum a comunicação virtual. Se você sentisse vontade de conversar com alguém,  tinha que planejar uma data com ela para se encontrarem.
Um dos malefícios da facilidade de estar conectado: se você quiser conhecer novas pessoas o que você tem como opção é criar uma conta em alguma rede social e enviar pedidos de amizade para várias pessoas aleatórias (o que têm confundido as crianças de hoje em dia, já que muitas não conhecem o outro lado da amizade).
E você nem precisa fazer um esforço tão grande para fazer amigos. Algumas pessoas até criam personalidades falsas e vídeos forçados. Logo alcançam 1000 seguidores, e como a prática está cada vez mais comum, é até possível comprar fãs por alguns $.

encontrar-amigos

7. Era comum se deparar com crianças na rua
Quando o dia chegava não havia luz do sol, insetos, chuva que nos atrapalhassem de sair para cair da árvore e se estabanar em cima das nossas bicicletas. Hoje em dia, encontrar uma criança brincando na rua não é tarefa fácil.
As crianças de hoje passam o dia no Facebook, Instagram e Twitter, postam selfies a cada minuto, acompanham os ídolos no Youtube e de quebra ainda enviam fotos de nudez pelo WhatsApp.
Elas já não precisam ir mais nas lojas para fazer compras… até o material escolar já são entregues em casa. É possível sobreviver tranquilamente ficando o dia todo dentro de casa quando se tem um cartão Visa capaz de realizar as compras on-line.
Preciso de dinheiro, e agora? Sem problemas. Você não tem que ir ao caixa eletrônico ou ao banco para depositar fundos em sua conta. Tudo que você precisa fazer é logar na conta bancária através do smartphone e a qualquer hora do dia você pode fazer transferências bancárias.
brincar
6. Nós usamos o Phone Book:
Antes da Internet, você tinha que consultar o número de alguém no Phone Book. Circular o número e memorizar para gravar na lista telefônica era uma prática bem comum.
Não que a prática nos trás nostalgia, mas do jeito que algumas crianças reclamam do prático, é sempre bom nos lembrarmos de como era antigamente.

lista-telefonica
5. Ouvir música? Só se solicitasse na rádio
Antes do YouTube e iTunes, tivemos que pedir músicas no rádio e torcer para que tocassem. Às vezes, a estação de rádio tinha muitos pedidos e aquela música que tanto queríamos ouvir não era tocada naquele dia.
Mas agora, as nossas músicas favoritas estão apenas a um clique de distância. Você pode transmitir-las on-line através de praticamente qualquer dispositivo.
ouvir-rádio
4. Pornô só comprando revista (+18) nas bancas
Ter acesso aos conteúdos adultos antes da internet era complicado. Se você não fosse maior de idade você teria que pedir para alguém maior de 18 comprar para você. Caso fosse maior de idade mas tivesse medo, ahhhh meu amigo, ai você podia se preparar porque ser julgado como medroso, covarde e ser rotulado de molenga não era legal.
Isso foi como um rito de passagem para os adolescentes. Quando você alcançava a maioridade, seus amigos começavam a pressionar para ir em frente com o ritual de compra de uma playboy em uma banca.
Mas esta tendência acabou de vez após a playboy americana declarar que não vai mais publicar fotos de mulheres nuas. A Internet tornou possível e simples o acesso a todo tipo de vídeos adultos e com milhares de sites especializados neste tipo de conteúdo ninguém mais precisa se preocupar em se expor nas bancas né?
Nuelle-Alves-Playboy
3. Desentendimentos eram resolvidos cara a cara
brigar-pessoalmente
Isso não quer dizer que as divergências não aumentaram. Se você tinha algo a dizer a alguém, você tinha que dizer na cara. Essa história de mandar indireta pelo Facebook e mandar os xingamentos pelo WhatsApp não existia. O que vemos hoje na Internet está em um nível completamente novo.
As pessoas se escondem atrás de seus computadores e postam todo tipo de coisa. Parece prazeroso enviar indiretas a uma pessoa especifica e declarar guerra para o mundo inteiro ver.
(Joelma que o diga!)
2. Assistir TV em família é algo cada vez mais raro

assistir-em-familia

Naquela época era comum reunir todos os membros da família para acompanhar uma programação na TV. Não havia muito o que fazer, especialmente se fosse época de férias escolar ou estivesse chovendo na rua.
Hoje cada quarto tem uma TV e poucos preferem a TV tradicional. Preferimos assistir vídeos do YouTube, acompanhar a Netflix em nossos notebooks ao invés de passar o tempo com nossas famílias assistindo TV.
E mesmo quando nos sentamos juntos como nossa família estamos sempre em nossos smartphones atualizando nossos status no Facebook ou lendo reportagens e vendo vídeos engraçados. Na verdade, é incomum e desmotivador entrar em uma casa e descobrir que ali não têm Wi-Fi.
1. Corretor ortográfico e a substituição do tudo bem pelo ‘k’.
msg-texto
Enquanto a invenção de mensagens de texto através de telefones celulares virava tendência a ortografia era mantida em seus padrões. Chegou a internet e a disseminação de simplificar as palavras vieram com ela. O que é mais irritante do que quando você está falando com uma pessoa e ela prefere digitar “K” ao invés de um “sim”?
Embora a Internet tenha arruinado muitas coisas que faziam bem ela nos trouxe benefícios inacreditáveis. Preferimos o simples, queremos tudo mais rápido, estamos mais acessíveis. Mas e quem não conheceu o outro lado da moeda? Como fica?
Quem viveu totalmente o contrário jamais vai querer esquecer e daqui alguns anos será uma realidade ‘engraçada’ de se ouvir falar. A Internet não é inerentemente mau. São as pessoas que a utilizam de forma muitas vezes inadequada.
Y

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Ela só tem 15 anos


Parece que alguem se queimou com a patroa HAHAUHSUHASHUAUHSUHAUHSUHAUHSHUAS

Pega a relevância da minha perigosidadee






 Ééééé meus caros! A semana foi pesada e as coisas estão bem estranhas, igual os links dessa página aqui (até pode clicar haha). Quem ta vendo esse monte de coisa nem percebe como isso anda tão descontrolado, igual o onibus hhahahahahahahaha

Fotos da Juju Ferrari